Voge SR1 125 – Uma GT urbana

Após a estreia pela porta grande da Voge na cilindrada de 125 cc com a naked desportiva 125R, que revolucionou o segmento pela sua tecnologia, design, prestações e preço, a marca premium do grupo Loncin continua a sua expansão com a nova SR1, uma scooter de design italiano e estilo Grande Turismo, adaptada às deslocações urbanas do dia a dia, com dimensões mais compactas, muito bem dotada a nível de equipamento e movida pelo novo motor de refrigeração líquida que disponibiliza 11,6 cv, com a segurança do ABS de duplo canal e controlo de tração TCS, bem como um preço de lançamento bastante atrativo.

2023 é o ano da expansão da Voge. Após ter conquistado os corações do público da carta A2 com a sua gama de motos de 300, 350, 500 e 650 cc, assim como a sofisticada scooter SR4 Max, a Voge concentra esforços na cilindrada de “oitavo de litro”, para alcançar uma grande faixa de público detentora da carta A1 (16-17 anos) e, sobretudo, de automóvel (B), que encontra nas motos e scooters de 125 cc a forma de entrar no mundo das duas rodas motorizadas automaticamente, sem trâmites nem custos adicionais.

Há alguns meses já testemunhámos a estreia da Voge nesta cilindrada com a 125R: uma autêntica naked desportiva, fabricada com o mesmo cuidado e acabamentos que a Voge coloca nos seus modelos de alta cilindrada, design italiano, com muita tecnologia aplicada à sua iluminação, motor (DOHC, 4 válvulas, refrigeração líquida, injeção Bosch, 6 velocidades e 11,5 CV), altas prestações e um preço imbatível pouco acima dos 3.000€.

A mesma fórmula que a levou ao sucesso imediato aplica-se agora ao seu novo lançamento, a SR1, a segunda scooter da marca após a SR4 e o segundo na cilindrada de 125 cc, disposta a ser a primeira no ranking de vendas do mercado.

Motivos não lhe faltam. Em primeiro lugar, a Voge quis que a SR1 fosse amor à primeira vista, e, para tal, voltou a encarregar do design o italiano Massimo Zaniboni, autor das linhas da 125R e da SR4, e cuja genialidade artística converteu em best-sellers quase todas as suas criações para diferentes marcas. Para esta SR1, Zaniboni inspirou-se nas linhas das sofisticadas scooters Grande Turismo, compactando as suas dimensões (distância entre eixos de 1320 mm) para a tornar mais manobrável nas deslocações urbanas do dia a dia, sem perder qualidades de estabilidade nos trajetos dos arredores em autoestradas e vias rápidas. Neste sentido, vale a pena destacar a sua altura reduzida do assento ao solo, de 775 mm, que permitirá uma perfeita acessibilidade a todas as estaturas e, em especial, ao público feminino que irá valorizar a sua extraordinária leveza de 139 kg.

Não só os 775 mm de altura do assento permitem apoiar ambos os pés no solo para condutores de qualquer estatura, mas também foi dada atenção à posição de condução com um duplo triângulo ergonómico (assento, guiador, plataforma apara os pés) que permite uma utilização confortável, com as costas direitas no uso em cidade, descontraindo-se mais nas deslocações por estrada aberta, esticando as pernas e apoiando os pés nas plataformas inclinadas e adiantadas.

No que respeita à iluminação, o atrativo design de Zaniboni é complementado com a tecnologia LED aplicada a todos os seus elementos. O farol dianteiro espelha um carácter desportivo, com a sua dupla ótica estreita em altura e alongada, completa com umas guias luminosas em “L” pelos lados exterior e inferior das óticas, com função de luzes de presença; cada ótica inclui dois focos de LED, situando-se o feixe de médios no interior e o de máximos no exterior. Os piscas dianteiros por fileiras de quatro díodos posicionam-se na vertical logo abaixo do farol, nas laterais, deixando espaço entre eles para um par de entradas de ar triangulares que contribuem para aumentar a sua agressividade desportiva. Acima do farol situa-se o para-brisas transparente que ajuda a proteger o condutor da deslocação do ar em marcha, do frio e da chuva.

O grupo ótico posterior também exibe a sua particular assinatura luminosa cheia de frescura. A luz de presença baseia-se numa guia luminosa em forma de “T”, repartindo-se a luz de travagem com mais intensidade de ambos os lados do traço vertical do “T” e fechando o conjunto com recurso ao “L” para os piscas. Um bom pormenor que contribui para aumentar a segurança ativa da scooter é o sistema ESS (Emergency Stop Signal), que foi estreado na scooter SR4, e que consiste em fazer piscar com elevada frequência as lues de stop em caso de travagens bruscas de emergência, para advertir os veículos que seguem a SR1 da situação de perigo.

A sua parte ciclística também foi desenvolvida em profundidade, com um quadro otimizado em rigidez e compostamente, acompanhado por um conjunto de suspensões em que foram adotadas as modernas tecnologias PSA e SNF, antes aplicadas no desenvolvimento da scooter SR4 Max, para conseguir na sua taragem o máximo conforto para condutor e passageiro, mantendo a firmeza da scooter no descrever das curvas. A forquilha conta com bainhas de 31 mm de diâmetro e um curso de 93 mm, enquanto o par de amortecedores empregue inclui dupla passagem de mola e, proporcionando um curso de 103 mm.

Tudo isto vem acompanhado pela escolha de uns pneus “roda média” nos diâmetros de 14 e 13 polegadas, com amplas secções em perfil baixo: 110/70 e 130/70, respetivamente. Acompanham ambas as rodas os travões de disco de 240 e 220 mm, para os trens dianteiro e traseiro, com as suas correspondentes pinças flutuantes e duplo e simples pistão. No sistema de travagem intervém um modulador ABS de duplo canal independente, e, completando o equipamento de segurança eletrónico, um sistema de controlo de tração TCS que evita as perdas de tração da roda traseira em pisos de baixa aderência, tanto em arranques como ao traçar curvas, atuando na entrega de binário do motor.

A mecânica da SR1 foi objeto de um profundo desenvolvimento com longos testes dinâmicos nos quais os protótipos rodaram cada um mais de 60.000 km, bem como exames de durabilidade em banco de ensaio dos motores, durante mais de 200 horas ininterruptas para demonstrar uma total robustez, fiabilidade de longa vida útil do produto. Este novo grupo motriz conta com refrigeração líquida (radiador junto ao lado direito do motor), cabeça com balanceiros dotados de rolamentos para minimizar fricções e transmissão por variador com correia dentada de dupla face, que entrega uma potência máxima (medida em laboratório de homologação) de 8,5 kW (11,6 CV) às 8.500 rpm e um binário de 11 Nm às 6.500 rpm. Este novo propulsor também se distingue pelo seu inexistente nível de vibrações, níveis de ruído abaixo das diretivas de homologação e um baixíssimo consumo registado sob as normas NEDC de apenas 2,2 litros a cada 100 km, o que se traduz numa autonomia de mais de 360 km.

Como ferramenta diária de transporte, a Voge SR1 responde com um equipamento muito funcional. O volume existente sob o assento é de 29 litros, capacidade suficiente para albergar sem problemas um capacete integral, deixando espaço atrás deste para levar outros pequenos objetos. Este compartimento principal de carga complementa-se com um porta-luvas na parte superior esquerda do contra-escudo, onde se pode carregar em marcha em telemóvel, aproveitando a tomada de corrente USB.

Os arranques não requerem procurar a chave mecânica nos bolsos ou na mochila, já que conta com sistema Keyless de chave inteligente por proximidade. A mesma chave inteligente incorpora um botão que permite localizar o veículo num raio de 30 metros, ou bloqueá-lo em caso de roubo. O arranque realiza-se através de um bloco que integra as funções de ignição e bloqueio da direção, junto ao qual se encontram os botões para a abertura do assento e da tampa do depósito de combustível.

Para a instrumentação confia-se num ecrã digital a cores com caracteres em negativo (branco sobre fundo negro). É o mesmo que partilha com a sua irmã, a naked desportiva 124R, e, portanto, com um elevado conteúdo informativo. Ao obrigatório velocímetro com grandes dígitos junta-se um conta-rotações, níveis gráficos de temperatura e conteúdo de gasolina, relógio, consumo médio, voltímetro e conta-quilómetros total/parcial, além de um vasto grupo de avisadores luminosos. O painel de instrumentos integra um sensor fotoelétrico que adapta automaticamente a intensidade do brilho do ecrã segundo a luminosidade exterior.

A Voge SR1 conta com câmara de vídeo HD de alta definição (1080 píxeis) com a qual se imortalizam os teus roteiros favoritos num cartão SD.

A chegada da nova Voge SR1 está prevista para o mês de setembro, a um excecional preço de lançamento de  2.995,00€  e com 5 anos de garantia.

A SR1 estará disponível em três cores diferentes: branco, prata e cinzento.

Características técnicas

MOTOR
Tipo Monocilíndrico, DOHC, 2v, refrigeração líquida
Alimentação Injeção eletrónica EFI
Diâmetro x curso 52,4 x 57,9 mm
Cilindrada 124,9 cc
Taxa de compressão 11:1
Potência máxima 8,5 kW (11,6 CV) às 8.500 rpm
Binário máximo 11 Nm às 6.500 rpm
Emissões CO2 63 g/km
Embraiagem Centrífuga a seco, automática
Caixa Automática por variador contínuo
CICLÍSTICA
Quadro Multitubular em aço com bloco motor-transmissão oscilante
Suspensão dianteira Forquilha telescópica hidráulica 31 mm. Curso 93 mm
Suspensão traseira 2 amortecedores hidráulicos. Curso 103 mm
Travão dianteiro Disco 240 mm ABS c/pinça flutuante de duplo pistão
Travão traseiro Disco 220 mm ABS c/pinça flutuante de pistão simples
Pneu dianteiro 110/70-14’’
Pneu traseiro 130/70-13’’
DIMENSÕES E PESO
Comprimento máximo 1945 mm
Largura máxima 740 mm
Altura máxima 1265 mm
Altura do assento 775 mm
Distância entre eixos 1320 mm
Distância mínima ao solo 120 mm
Capacidade do depósito de combustível 8 litros
Peso a seco 139 kg

 

 

900DSX
650DS
525DSX
500DSX
500DS
300DS
300 RALLY
525R
500R
300R
125R
525ACX
525AC
500AC
350AC
300ACX
300AC
SR4 Max T
SR4 Max
SR1 ADV
SR1
ER10
900DSX
650DS
525DSX
500DSX
500DS
300DS
300 RALLY
900DSX
650DS
525DSX
500DSX
500DS
300DS
300 RALLY